Hyaxel: contra os danos do estresse na pele

Silício orgânico como lifting oral
3 de janeiro de 2018
Hyaxel: exclusiva tecnologia de vetorização biológica do Ácido Hialurônico em Silanol intensifica a renovação epidérmica
12 de janeiro de 2018

Uma das formas do nosso corpo comunicar as emoções e estresse é através da pele. O estresse crônico, muito frequente atualmente, desempenha um papel negativo no nosso maior órgão, tanto no aspecto quanto em sua função.

O estresse provoca uma notável diminuição da função da barreira cutânea. Dessa forma, a pele se torna fragilizada, menos resistente, e consequentemente mais desidratada.

Essas modificações provocam um impacto sobre certos estados patológicos: a cicatrização fica mais lenta, o risco de infecção passa a ser maior, e os eczemas passam a ser mais exacerbados.  É comprovado que o estresse possui efeitos similares aos do envelhecimento.

Em nível epidérmico, a proliferação celular é diminuída e o processo de diferenciação é comprometido. O principal responsável por estes efeitos é um glucocorticoide endógeno, o cortisol, cuja produção é aumentada em resposta ao estresse. O cortisol é um potente inibidor do crescimento dos queratinócitos, induzindo à atrofia da epiderme.

Estudos realizados com Hyaxel demonstraram que ele diminui o impacto do cortisol na pele, sendo dose dependente. Quanto maior a concentração de Hyaxel, maior a secreção de ácido hialurônico.

O uso de Hyaxel promove o restabelecimento da homeostase da epiderme e derme, uma vez que o ácido hialurônico tem propriedades biológicas e físico-químicas importantes, como hidratação da pele, homeostase epidermal e reparação tecidual, entre outros.